A Santa Casa completa seus 162 anos de ininterruptos serviços prestados aos mais necessitados. Nesse espaço de tempo evoluiu, modernizou serviços e equipamentos, alcançou outras especialidades e continuou com o pioneirismo que marcou sua fundação. Mas as organizações, com o passar dos tempos. precisam se rediscutir, avaliar o passado e o presente e se preparar para o futuro, adaptando-se as mudanças surgidas e prováveis, para se manterem vivas e saudáveis. Com esse espírito, o Provedor Luiz Marques, ao fim de mais um período de gestão, tomou a iniciativa de promover essa discussão e preparar a Santinha, como é conhecida carinhosamente, para uma nova etapa. Por óbvio que não se pensa em fugir de rico passado que a acompanha, ou de reduzir sua vocação de benfeitora, contudo de estancar os problemas que a afligem cada vez mais, por ter 95% dos seus atendimentos vinculados ao SUS, com certeza o maior índice em hospitais de qualquer natureza.

O SUS inegavelmente é um sistema respeitado e que merece todo o reconhecimento pela ampliação que deu ao atendimento àqueles mais carentes, permitindo-lhes aceder a atendimentos, cirurgias e outros procedimentos até então difíceis. Mas o SUS, por suas dimensões, termina por gerar situações que vão impactar nas prestadoras de serviços, haja vista a defasagem da sua tabela de atendimentos, hoje incapaz de cobrir, por exemplo, consultas e procedimentos de pequena ou média complexidade. Além disso, os recursos são transferidos dentro de uma rede, o que termina por implicar em atrasos no seu recebimento.

São apenas dois exemplos mais flagrantes, nos quais já se debruçam os membros das comissões criadas para promover um levantamento de situação para alicerçar o planejamento adequado para o futuro, com ênfase na comunicação com a sociedade, uma mais forte interrelação com as instituições produtoras e, mais ainda, com os poderes públicos, em busca de caminhos que assegurem sua estabilidade. O resultado será, não resta dúvidas, de enorme importância, para aqueles que têm na Santinha a porta aberta para um atendimento humano e de qualidade.

Artigo Vladimir Spinelli

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *