São Vicente de Paulo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Roda de conversa marca início do mês de conscientização e combate à violência contra a mulher
Realizada em três momentos distintos – dois para colaboradores e um para pacientes – as palestras fazem referência ao agosto lilás (mês de combate à violência doméstica) e visam esclarecer sobre as violências praticadas contra a mulher, suas formas de prevenção e, até mesmo, os mecanismos de proteção. Os encontros estão sendo realizados no auditório do Hospital São Vicente de Paulo.
Para trazer a discussão para o ambiente corporativo, contamos com as orientações da Mayara Viana, representante da Casa da Mulher Brasileira, equipamento fruto da parceria do Governo do Ceará, Governo Federal, Ministério Público, Defensoria Pública, Tribunal de Justiça e Prefeitura Municipal de Fortaleza, responsável por prestar atendimento integral no que diz respeito às vítimas das mais diversas situações decorrentes da violência doméstica.
A necessidade deste tipo de ação foi ampliada após ter sido observado situações e relatos de pacientes que apresentavam sinais da existência de relacionamentos abusivos com seus parceiros. A promoção de informações sobre a Lei e as formas de combate à violência doméstica e familiar são importantes aliados para a autonomia feminina.

Formas de violência contra a mulher:
Física – empurra, chuta, amarra, bate, violenta;
Moral – Calúnia, injúria, difamação;
Psicológica – humilha, insulta, isola,persegue, ameaça;
Sexual – exige práticas que você não gosta, te pessiona, se nega a usar preservativo, te nega o direito a métodos contraceptivos;
Patrimonial ou econômica – controla seu dinheiro, não te dá autorização para realizar compras, destrói seus objetos, não te deixa trabalhar, oculta bens e propriedades.

A Lei Maria da Penha
A Lei Maria da Penha foi sancionada em 7 de agosto de 2006 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Com 46 artigos distribuídos em sete títulos, ela cria mecanismos para prevenir e coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher em conformidade com a Constituição Federal (art. 226, § 8°). Para mais informações, acesse: www.www.institutomariadapenha.org.br.

Deixe um comentário