Ouvidoria: 3455-9188 Deixe uma mensagem


Enviar
Imprimir
Aumentar
Reduzir
Compartilhar
Twittear

Alimentos que agem no fortalecimento do organismo

 

São alimentos protetores, que além de fornecer carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas e sais minerais, fornecem também substâncias que ajudam na prevenção ou tratamento de doenças.
Algumas pessoas confundem o termo “protetor” desses alimentos, mas é importante que se saiba que eles atuam de forma a fortalecer o organismo e reduzir as chances de desenvolvimento de doenças, ou seja, se alguma doença porventura surgir, os alimentos funcionais agirão somente para fortalecer o organismo e não para curá-lo.
O tratamento com nutrição funcional é direcionado ao paciente e não a doença, o oposto da medicina tradicional. Torna-se mais importante saber o perfil do paciente que tem a doença do que saber qual doença o paciente tem. O indivíduo é abordado como um todo, um conjunto de sistemas que se inter-relacionam e que sofrem influências de fatores ambientais, emocionais, alimentares, história individual de patologias e uso de medicamentos, hábitos de vida e atividade física, por exemplo. A nutrição funcional baseia-se na ideia de que há alimentos e nutrientes que precisam de outros para agir no organismo de maneira positiva. Ou, ao contrário, que conseguem anular efeitos negativos de outros.
Para utilizar alimentos funcionais na alimentação diária e ainda contar com os benefícios que estes promovem, deve-se atentar para a quantidade a ser ingerida dos componentes funcionais, pois em pequenas quantidades não trarão de fato os benefícios que possivelmente trariam se ingeridos de maneira adequada. Uma consulta nutricional é a maneira mais eficiente de garantir um resultado satisfatório, pois o profissional calculará as quantidades específicas de cada nutriente de modo a atender a sua individualidade.

Nutrição Funcional e Emagrecimento

Com base no estudo desse tipo de nutrição, é que a paranóia da contagem de calorias por quem faz dieta passou a perder o sentido, e que finalmente as pessoas começam a entender que as dietas com fórmulas para emagrecer não funcionam para todo mundo. Mais importante é a quantidade de nutrientes ingeridos e a qualidade da alimentação para ingerirmos o mínimo de toxinas, pois são elas que estão associadas ao desenvolvimento de doenças como a obesidade e outras desordens metabólicas.



Nutrição Funcional e Longevidade

“Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças crônicas não transmissíveis já são responsáveis por 72% das mortes ocorridas no Brasil, sendo que, no mundo, esse valor corresponde a 60%. A OMS acredita que 80% de problemas prematuros do coração, AVC e Diabetes tipo II e 40% dos casos de câncer poderiam ser evitados se corrigíssemos nossos hábitos alimentares, reduzíssemos o uso de tabaco e adotássemos uma atividade física regular.”
“Mesmo sendo recente no Brasil, a nutrição funcional conta com o respaldo científico de diversos estudos realizados principalmente na Europa e nos EUA, onde, aliás, já existe um instituto dedicado à especialidade: o The InstituteFor Functional Medicine.”

Alguns dos principais alimentos classificados como funcionais são: soja e derivados, cereais integrais (aveia, centeio, cevada, farelo de trigo), tomate, uva, couve-flor e brócolis, linhaça, hortaliças com talo, leite fermentado, entre muitos outros.

•    Casca de uva, vinho tinto e maçãs – Redução de doenças cardiovasculares e formação de coágulos e inflamações

•    Soja e derivados – Redução do risco de doenças cardiovasculares, alívio das ondas de calor em mulheres na menopausa

•    Brócolis, repolho, couve-flor e rabanete – Aumento da atividade de enzimas que combatem a formação de células cancerígenas

•    Tomate, goiaba e melancia – Atividade antioxidante, redução do risco de doenças cardiovasculares e proteção contra o câncer (especialmente de próstata)

•    Folhas Verdes – Proteção contra degeneração macular, manutenção de uma boa visão

•    Linhaça – Inibição de tumores, prevenção de doenças cardiovasculares e controle de doenças auto-imunes e inflamatórias

•    Grãos integrais, frutas e vegetais em geral – Melhora na saúde intestinal, redução do risco de câncer de cólon e controle do colesterol e glicemia

•    Leites fermentados e iogurtes – Melhora da saúde intestinal e redução do risco de câncer de cólon





Fernanda Lins – CRN 9130 e Liana de Castro – CRN 1247
Nutricionistas da Santa Casa da Misericórdia de Fortaleza